Aracaju, 06 de Dezembro de 2021

"Consciência o ano todo, e sempre", esse foi o slogan que a marca de beleza, Salon Line, enfatizou em sua mais nova campanha

Desde a produção até os modelos, o ensaio fotográfico para o Dia da Consciência Negra, foi formado por pessoas que trabalham na empresa
20/11/2021 07h:11 - Por Ascom - Foto: Divulgação

Desde ontem (19), nas redes sociais da Salon Line estão rolando spoilers do que acontecerá hoje, dia 20 de novembro, mais conhecido como Dia da Consciência Negra. A data ganhará ares de celebração e será usada para potencializar e homenagear todos os funcionários que estão, o ano todo, sendo representados através das campanhas, lançamentos de produtos capilares, com foco no público negro, e o lançamento de Tiye: uma marca com itens feitos sob medida para a rotina de cuidados da pele brasileira e, claro, a preta. 

 

A ideia surgiu em uma das reuniões criativas da equipe de arte: “A Thais Loza, nossa head de design, é quem nos manda o briefing dessas produções. A ideia de fotografarmos um conteúdo especial para o dia da consciência negra com funcionários, já chegou super formulada. Eu achei a ideia sensacional! Anos atrás, observando o número de pessoas brancas dentro da minha sala de aula, eu jamais imaginaria que hoje faria parte de uma campanha idealizada e realizada completamente por pessoas pretas. Isso é mágico.” refletiu Arthur Almeida, produtor audiovisual na empresa.

 

Quando chega novembro pautas sociais como essa, são muitas vezes tratadas somente durante o mês, e, geralmente sem muito tato para entender melhor as dores e a razão desta data ainda precisar ser tão discutida e levada além. O público da Salon Line tem como maioria a configuração do que foi mostrado em suas diversas campanhas, ou seja, pessoas pretas, mais novas ou mais maduras, retintas ou não.

 

Navegando pelas redes sociais da marca encontra-se conteúdos sobre ancestralidade, formas de cuidar do cabelo afro, enaltecimento da beleza preta e também assuntos que abordam os estereótipos, dentre outros. Esses temas fazem parte do cotidiano da empresa e, para essa sexta e sábado, não será diferente. Eddie William, assistente de audiovisual e responsável pelos cliques do ensaio acrescentou: “Eu sei que a data é sobre a consciência negra, mas esse termo só existe porque em muitos dos casos não somos vistos como iguais e acho que essa foi minha grande alegria quando entrei aqui na Salon Line, porque a empresa passa essa mensagem de exaltar o preto, o cacheado, o crespo, assim como todos os outros tipos de cabelo e pele".

 

Durante o ensaio foi perguntado: “Como ter consciência negra não só hoje, mas sempre?” e o modelo e assistente de audiovisual Henrique Antônio respondeu: “Entendendo que a questão racial é um problema estrutural brasileiro e por isso merece centralidade nos debates. Participando ativamente das lutas antirracistas e entendendo o papel do preto na construção do país, dando protagonismo à comunidade preta cotidianamente nos diversos âmbitos da nossa sociedade”.

 

Nas redes sociais desde sexta-feira, estão rolando conteúdos educativos, chuva de fotos e depoimentos sobre essa campanha, entre outros conteúdos. Os consumidores terão a chance de, mais uma vez, acompanhar de perto e ter essa troca. 

 

 

 

                                             

Modelos (em pé: Paloma Braga e Henrique Antonio), sentados (da esquerda para a direita: Kayana Santos, Ana Camargo e Priscilla Santos)

 

 

 

SOBRE A SALON LINE

 

A Salon Line é uma marca 100% brasileira que está presente no mercado de beleza e cosméticos capilares desde 1995. São mais de 400 produtos distribuídos em 16 linhas, com foco em recuperação, tratamento, coloração, transformação e hidratação do cabelo - dos crespos aos lisos - sejam eles naturais ou com química. A marca apoia que cada pessoa busque sua própria beleza e quer estar lado a lado de seus clientes nesta descoberta. Seu posicionamento é “Transforme-se em você”: um dos principais pilares da Salon Line que incentiva as pessoas a assumirem sua identidade e aparência sem medo de julgamentos.

Comentários