Aracaju, 11 de Maio de 2021

Campanha da Voz 2021 alerta para as doenças vocais

14/04/2021 08h:59 - Por Ascom Foto: Ascom

 

 

A Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV) e a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) lançam, esta semana, a 23ª Campanha Nacional da Voz 2021. Estrelada por Zélia Duncan, Alexandre Peixe e David Pinheiro, a iniciativa visa conscientizar a população sobre a saúde vocal e a importância do diagnóstico precoce.

 

A campanha é divulgada pelos canais oficiais @otorrinoevoce @cuidedasuavoz e tem como objetivo alertar, informar e esclarecer dúvidas da população brasileira em relação às doenças otorrinolaringológicas.



Com o slogan “O que a sua voz tem a dizer sobre a sua saúde?”, a ação este ano tem como objetivo levar informação e fomentar a prevenção de doenças vocais, e contará com uma programação internacional para médicos otorrinolaringologistas, até o dia 15/4, mais uma live especial aberta ao público com a participação de especialistas que responderão ao vivo a todas as dúvidas, no dia 16/4.



Com início em 1999, a Campanha Mundial da Voz hoje é um case de sucesso no país e já alertou e orientou milhões de brasileiros. O foco da campanha neste ano é a prevenção do câncer de laringe, que pode ter como primeiro sintoma a rouquidão. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que, para cada ano do triênio 2020/2022, sejam diagnosticados no Brasil 7.650 novos casos de câncer de laringe (na proporção de 6.470 casos em homens e 1.180 casos em mulheres). Esses valores correspondem a um risco estimado de 6,20 casos a cada 100 mil homens e 1,06 casos a cada 100 mil mulheres.



Sobre a ABORL-CCF



Com mais de 70 anos de atuação entre Federação, Sociedade e Associação, a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), Departamento de Otorrinolaringologia da Associação Médica Brasileira (AMB), promove o desenvolvimento da especialidade através de seus cursos, congressos, projetos de educação médica e intercâmbios científicos entre outras entidades nacionais e internacionais. Busca também a defesa da especialidade e luta por melhores formas para uma remuneração justa em prol dos mais de 8.500 otorrinolaringologistas em todo o país.

 

 

Comentários