Aracaju, 11 de Maio de 2021

Alimentação e como ela pode ajudar na depressão e ansiedade

17/03/2021 09h:32 - Por Ascom - Foto: Pinterest

A ansiedade e a depressão estão entre as principais consequências desse período de pandemia. Isso influi também bastante na alimentação do brasileiro. Numa necessidade de compensação, muitos acabam aderindo a alimentos ricos em açúcares e gorduras.

 

Acontece que o consumo elevado de alimentos ricos em gorduras trans e saturadas aumenta os riscos de depressão.  De acordo com os especialistas, com a baixa taxa de nutrientes necessários em nosso organismo para que o cérebro funcione corretamente, podem surgir processos inflamatórios no sistema nervoso causando a morte de neurônios, facilitando assim, o aparecimento de distúrbios mentais, entre eles a depressão.

 

Alguns alimentos possuem  quantidades de sódio além do limite tolerável, gorduras, conservantes e corantes, e, afetam diretamente nosso sistema neurológico, como os fast foods e refrigerantes. Além desse tipo de alimento, os adoçantes artificiais também estão na lista negra, visto que promovem a queda de serotonina (que é o hormônio responsável por pelo bom humor). O consumo excessivo de cafeína, óleos hidrogenados, comidas processadas e açúcar refinado são os principais vilões.

 

 

Alimentos

 

O ideal, segundo os especialistas, é manter sempre uma alimentação balanceada e rica em nutrientes, também frutas como banana, melancia, mamão e abacate, que são fontes de triptofano, um aminoácido que ajuda na produção de serotonina. Entre outros alimentos que combatem a depressão estão: hortaliças verde-escuras, laranja, iogurte e leite desnatado, mel, batata-doce, lentilha, peixes e frutos-do-mar, soja e aveia, entre outros.

 

Estudos revelam que a suplementação de probióticos e vitaminas, como as do complexo B e D3 pode ajudar na melhora da depressão e ansiedade.

 

Nutrientes como o Ômega 3, presente em diversos alimentos, como peixes e nozes, têm função protetiva do cérebro. “Devemos também ressaltar a importância de investir em uma alimentação saudável e atividades físicas para melhorar o bem-estar pessoal e ter uma melhor qualidade de vida, além de priorizar o equilíbrio entre corpo e mente para prevenir doenças ou distúrbios mentais”, explica Dr. Elifas Rodrigues, médico do esporte e nutrólogo.

 

Também é viável buscar o acompanhamento de profissionais especializados, os quais poderão oferecer auxílio médico e caminhos para superar distúrbios como depressão, ansiedade e compulsão alimentar. “Em crises mundiais, como a pandemia do Covid-19, as pessoas tendem a ficar ainda mais preocupadas, ansiosas e compulsivas, portanto, mais do que nunca, é preciso cuidado e atenção”, finaliza Dr. Alisson Melo, médico do esporte e nutrólogo.

 

Comentários