Aracaju, 11 de Maio de 2021

Beatriz Roquette-Pinto e o pioneirismo feminino no rádio brasileiro

No Dia Nacional do Rádio, 25 de setembro, conheça um pouco mais da história da pioneira do rádio no Brasil
25/09/2020 08h:12 - Por Da redação com informações da rádio MEC - Foto: Arquivo rádio MEC

O dia 25 de setembro é lembrado, no Brasil, como o Dia Nacional do Rádio e da Radiodifusão. A data é uma homenagem ao “Pai do Rádio Brasileiro”, o antropólogo Edgar Roquette-Pinto, que nasceu em 25 de setembro de 1884, e veio a falecer em 1954.  Roquette-Pinto fundou a primeira rádio do Brasil, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro – PRA-2, em 1923. Sua filha, Maria Beatriz Roquette Pinto (1911) é considerada a primeira locutora do rádio brasileiro.

 

Quem não conhece a história da Beatriz Roquette-Pinto poderia facilmente dizer que é um típico caso de nepotismo. Mas a educação esmerada na Europa, além de uma bela voz, deu a  Beatriz o perfil de profissional que Roquette-Pinto queria atuando na rádio - que pudesse levar educação para os brasileiros.

 

A voz feminina de Beatriz foi um atrativo a mais. Na verdade, foi uma boa jogada de marketing do Roquette-Pinto, pois inspirou curiosidade, numa época e que a voz masculina era predominante, e a mulheres se dedicavam ao lar e aos filhos. Além de locutora, Beatriz produziu programas infantis e foi diretora da Rádio Sociedade. 

 

Em entrevista à Rádio Mec, na comemoração dos 70 anos da emissora, Beatriz Roquette-Pinto disse que “o rádio, no Brasil, começou alto”. E explicou: “Começou na Academia de Ciências! Não pode ser lugar melhor para um país começar! Eu acho que foi o único país no mundo em que o rádio começou tão alto, na Academia de Ciências! Alto, que eu digo, na parte cultural”, declarou.

 

 

 

Comentários