Aracaju, 05 de Junho de 2020

Mecanismos para lidar com o stress

As mudanças causadas pela pandemia da Covid-19 vêm afetando mais do que muita gente quer admitir
23/05/2020 10h:09 - Por Redação, com dados da ONU - Foto: Freepick/Kate Mangostar

Se em 2019, o Brasil já era o país com o maior número de pessoas ansiosas( 9,3% da população segundo a Organização Mundial da Saúde - OMS), como será que está nesses tempos de pandemia?


Estudo recente da Universidade do Estado do Rio (Uerj), publicado pela revista científica The Lancet, confirmou que a saúde mental tem sofrido grande impacto nesse período de pandemia do novo coronavírus nos brasileiros.
 

A psicóloga e consultora para manejo do estresse da ONU Brasil, Alessandra Faustino, dá algumas dicas para tentar reduzir seu estresse e manter a calma nesse momento.
 

 

Procure criar uma rotina
 

Se você ainda não conseguiu estabelecer uma nova rotina, saiba que ela é essencial para lhe dar a sensação de um mínimo de normalidade. Afinal, você teve que alterar sua vida por conta dessa pandemia e isso desestrutura o emocional de qualquer um.  Não postergue mais: crie uma rotina e evite ficar sem atividade produtiva, mesmo que de lazer, por muito tempo. Mas também não se sobrecarregue a ponto de esquecer horários de comer, de dormir e de relaxar.

 


Divirta-se!


Para evitar o tédio e reduzir a ansiedade, também é muito importante que você planeje atividades de lazer e de higiene mental.


Invista num projeto pessoal/familiar que seja prazeroso e factível, mas que seja desafiante o suficiente para que te motive.
 

Estabeleça uma meta e um cronograma e o siga. Há muitos recursos disponíveis na Internet: visitas virtuais a museus e cidades, concertos, livros, filmes, lives, jogos.

Aprenda algo novo ou ensine o que sabe a alguém através da internet. Seja criativa(o)!
 

Atenção com crianças, adolescentes e idosos


Se você tem crianças ou adolescentes em casa, há preocupações adicionais com a rotina diária, mantê-los ocupados, cuidar de sua saúde e da deles, entre outras. Utilize a tecnologia a seu favor. As redes sociais como Youtube, Instagram, Facebook estão com várias opções de lazer para os pequenos que você também pode aproveitar para se divertir.


Para os idosos, pode ser o momento deles aprenderem a utilizar ou melhorarem o conhecimento da tecnologia. A experiência pode ser uma boa descoberta tanto para eles como para você que está ensinando.
 

 

Cuide da saúde
 

Mantenha uma alimentação saudável e a prática de uma atividade física regular. A essa altura, o corpo “pede” pelas chamadas “ comidas conforto”, como doces e massas. Mas, tente não exagerar. Não dá para comer isso todo dia!  O importante também manter-se ativo(a). Mesmo em casa, faça alguma atividade física. O que não falta é professor ensinando atividade física no Youtube ou Instagram.
 

 

Converse com amigos e parentes
 

Mesmo em casa, você pode conversar virtualmente ou por telefone com amigos e parentes. Não deixe de entrar em contato com as pessoas.
 

 

Aplicativos


A tecnologia também pode dar uma forcinha para conter crises de ansiedade nesse período. Como o Be OKay( iOs), que possui uma ferramenta de controle da respiração, induzindo o usuário a respirar profundamente em caso de crise de pânico ou ansiedade. Também possibilita fazer uma chamada telefônica para alguém que possa ajudar a pessoa num momento difícil.


A psicóloga Alessandra Faustino sugere que as pessoas procurem aplicativos confiáveis, desenvolvidos por universidades, hospitais, grupos de pesquisa que têm a preocupação com a proteção de dados do usuário e eficácia clínica.
 

Um exemplo de aplicativo desenvolvido no Brasil é ADDS (iOs e Android), que foi desenvolvido pelo núcleo de Telessaúde do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio (TelessaúdeRS/UFRGS).
 

 

Não tenha vergonha, peça ajuda profissional
 

Utilize todos os recursos que ajudem a superar a angústia, o medo, o tédio, a raiva, entre outros. Mas se esses sentimentos passam a ser tão nocivos a ponto de afetar o seu dia a dia, o auxílio psicológico pode ajudar bastante.
 

Os especialistas do Blog Vittude advertem que “por mais que conversar com amigos e familiares seja bom e proporcione alívio em determinadas situações, eles não substituem a escuta qualificada. Apenas um psicólogo é capaz de exercer essa escuta qualificada tão importante ao longo de um processo de terapia”.
 

Um psicólogo não tem a função de dar conselhos ou julgar moralmente. Ele é formado para que seja capaz de analisar e compreender o comportamento humano. A sua escuta não é apenas atenta, mas também inteligente e embasada, pronta para ir além do óbvio.


Por isso, livre-se de preconceitos e procure ajuda profissional. Nesse período de pandemia, muitos psicólogos estão atendendo por telefone ou on line.
 

A prefeitura de Aracaju, por exemplo, está oferecendo serviço psicológico remoto. O atendimento é feito através do telefone (79) 3304-3599, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h. De acordo com a prefeitura, as ligações serão repassadas via aplicativo para 34 psicólogos da Rede de Atenção Psicossocial (Reap).
 

Comentários