Aracaju, 15 de Outubro de 2018

Aleitamento materno: entenda por que é tão importante para mãe e filho

Na Semana Mundial do Aleitamento Materno, entenda porque a ação é tão significativa para relação afetiva: ela tem papel fundamental no desenvolvimento ósseo da criança e na recuperação do corpo da mulher
02/08/2018 11h:34 - Por Da Redação
Article cover big 60371a87c9a36443

O elo criado entre a mãe o bebê é um dos mais importantes no contexto das relações humanas. Essa importante ligação, que se desenvolve durante a vida inteira, tem início na gestação e progresso significativo na amamentação. É um ato de amor que traz benefícios importantes para ambos os lados. Embora exija cuidados e muitas vezes haja dificuldades – o aleitamento materno é capaz de auxiliar no desenvolvimento da criança, assim como favorecer a recuperação do corpo da mulher, depois das mudanças enfrentadas na gestação. Por isso, é tão importante entender sobre o processo de amamentação e os fatores podem ajudar a tornar este período mais tranquilo.

 

“O leite materno possui componentes entrelaçados de maneira harmônica. É completamente diferente do leite processado, que perde suas propriedades durante a pasteurização. Ainda que elas sejam adicionadas artificialmente, não oferecem o mesmo balanceamento”, explica Dr. José Agop, pediatra e médico antroposófico. Facilitando a digestibilidade e a absorção dos nutrientes, o leite materno, além de adaptado para saciar a sede e a fome do bebê, protege a saúde do filho. “Esse leite contém os anticorpos de todas as doenças que a mãe já teve, o que impede que o bebê seja afetado por vários problemas de saúde”, complementa.

 

De acordo com o Dr. Alexandre Rabboni, cirurgião dentista especializado em antroposofia e especialista em aleitamento há mais de 20 anos, a amamentação traz vantagens que vão além do valor nutricional e imunológico. “Há ainda o benefício na questão da construção da mandíbula, pois, ao utilizar a mesma musculatura da mastigação, a criança desenvolve o tônus dos lábios e bochechas durante a mamada, assim como a base óssea e nasal”, afirma.

 

Quando o aleitamento materno não é priorizado, os médicos alertam sobre os riscos que as crianças podem correr. “Na falta do leite materno, aumentam as chances do bebê sofrer com alergias, diabetes, infecções e doenças digestivas”, avisa Dr. Agop. Especialista em dentição, Dr. Rabboni adverte sobre o uso de mamadeiras. “Isso causa a ‘confusão de bicos’, quando o bebê dá preferência à mamadeira e à respiração pela boca. O resultado pode ser a má formação da arcada dentária e prejuízos ao sistema respiratório”, detalha.

 

Entretanto, para que o filho usufrua dos benefícios inerentes ao aleitamento materno, a mulher precisa tomar alguns cuidados. “Indico não consumir alimentos industrializados, temperos fortes, bebidas destiladas e remédios [por conta própria]”, recomenda Agop. O pediatra reforça a importância de a mulher estar concentrada na maternidade. “O ideal é que sejam evitadas atividades que desviem o foco. O estresse do trabalho, por exemplo, pode impactar na produção da prolactina, hormônio responsável pela produção de leite que é gerado no cérebro”, diz.

 

Uma opção para fortalecer a sensação de tranquilidade e bem-estar da mamãe na hora da mamada é aproveitar o momento para a ingestão de chás relaxantes. Para ajudar neste momento, a Weleda – marca suíça pioneira no desenvolvimento de cosméticos naturais e orgânicos – oferece o Chá Misto da Mamãe. Sua fórmula natural e isenta de corantes e aromatizantes artificiais contém especiarias que auxiliam no relaxamento, proporcionando conforto durante a amamentação: funcho, erva-doce, melissa, rosa silvestre e alcarávia.

 

Nessa relação de ganha-ganha, é importante lembrar que o aleitamento também oferece benefícios fisiológicos para as mamães. “Quando a mulher amamenta, produz mais ocitocina, um hormônio ligado ao bem-estar físico e emocional”, revela Dr. Alexandre Rabboni.

 

Por toda a sua importância para a saúde e relação afetiva, esse ato entre mãe e filho é celebrado na Semana Mundial do Aleitamento Materno, que ocorre de 1 a 8 de agosto.

 

 

Comentários