Aracaju, 21 de Julho de 2017

Justiça condena empresário Lírio Parisotto por agressão a Luiza Brunet

06/06/2017 15h:49 - Por Agência Patrícia Galvão
Article cover big 1056bdc49ce715ec

O empresário Lírio Parisotto foi condenado pela Justiça de São Paulo pelo crime de lesão corporal praticado contra a atriz Luiza Brunet, sua ex-companheira. Ele terá que cumprir um ano de prisão em regime aberto e mais um ano de serviço comunitário.

 


Na decisão, a juíza Elaine Cristina Monteiro Cavalcanti aponta que ele preenche os requisitos para a concessão de “sursis”. Na prática, significa que a execução da pena pode ficar suspensa por dois anos, quando ele deve ficar sob vigilância (podendo sofrer restrições, como não frequentar bares, prestar serviços à comunidade).

 

Parisotto foi condenado com base no artigo 126 do Código Penal, parágrafo 9º, que corresponde a lesão corporal praticada contra ascendente, descendente, irmão, cônjuge ou companheiro. Ele também respondia por delitos previstos pelos parágrafos 1º e 10º do mesmo artigo, mas foi absolvido dessas acusações.

 

O parágrafo primeiro corresponde a lesão corporal que provoque sequelas ou que tenha colocado em perigo a vida da vítima. Já o décimo, se refere a lesões com sequelas praticadas contra familiares ou companheiros, o que poderia aumentar a pena em 1/3.

 

Parisotto foi acusado de agredir a atriz em 21 de maio do ano passado, em Nova York (EUA), após uma discussão. Brunet tornou o caso público em julho do mesmo ano, quando afirmou ter sido atingida por um soco no olho, além de chutes dados pelo empresário. Ainda segundo o relato da atriz, ele a derrubou do sofá e a imobilizou até quebrar-lhe quatro costelas.

 

A atriz chegou a publicar após a agressão foto em seu Instagram com a legenda: “A maquiagem forte esconde o hematoma da alma”. Duas semanas depois ela postou uma nova foto, desta vez o de uma mulher com hematomas no rosto, com a legenda: “Esta é a clássica foto sofrida por muitas mulheres no Brasil. Não tenha medo de fazer denúncia 180”, em referência ao telefone do serviço de atendimento à mulher do governo federal.

 

O advogado de Parisotto, Celso Vilardi, disse que vai recorre da decisão. “Das três acusações inverídicas feitas por Luiza Brunet, duas já foram afastadas pelo Poder Judiciário, e a última será objeto de recurso ao tribunal competente que, certamente, fará justiça e absolverá Lírio Parisotto”, disse.

 

O empresário comentou a decisão no Instagram, onde reafirmou que vai recorrer. “Fui condenado a um ano de serviços comunitários, irei recorrer tenho certeza que verdade prevalecerá. Aliás fazer serviço comunitário seria um prazer, já faço muita ajuda comunitária. Não vou me delongar no assunto, quem tiver interesse está tudo escrito nas datas deste triste episódio aqui neste canal, só conferir. Portanto muita paz e companheirismo, só assim o amor sobreviverá e vencerá”, afirmou na rede social.

 

Parisotto sempre negou ter atacado a atriz e afirmou ter sido agredido por ela, em outra ocasião, durante um passeio de barco. Ele diz ter levado dez pontos devido ao ferimento, sem detalhar em qual parte do corpo.

 

Na época em que as acusações se tornaram públicas, ele disse, também no Instagram: “nunca na vida agredi homem, muito menos mulher que respeito muito, quem me conhece sabe. Isto não me tira o direito de me defender de tentativas de agressão através de tapas, chutes, mordidas, unhadas etc. Tento me defender através da imobilização”.

 

Brunet também comentou a decisão desta segunda (5). “Não foi fácil me expor, nem será apagar as marcas que a violência me deixou. Mas o que, ontem, foi vergonha e medo, hoje, é força e uma certeza: seguir no combate à violência contra as mulheres. Dei um importante passo, tive coragem para mudar e sempre fiquei ao lado da verdade”, disse. em nota.

 

Em agosto de 2016, a atriz entrou na Justiça pedindo a dissolução da união estável. No mês passado, ela afirmou em texto publicado no Instagram que ainda está se reconstruindo. “Estou ainda me reconstituindo. Nós mulheres, que passamos por isso, podemos dimensionar o que isso causa no nosso coração; seguir é fundamental, as pétalas caem e outras nascem”.

Comentários