Aracaju, 12 de Dezembro de 2017

Iluminação laranja de ‘cartões-postais’ do Brasil marca início dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

Neste ano, a mobilização adotou o lema “Não deixar ninguém para trás: acabar com a violência contra as mulheres e meninas” em referência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
23/11/2017 01h:11 - Por ONUMulheres
Article cover big 59cabbfaa4a7d19a

Cristo Redentor, uma das sete maravilhas do mundo moderno, se ilumina de laranja nos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres              Foto: UNIC/Pedro Andrade

 

 

Cristo Redentor, Elevador Lacerda, Palácio Buriti – cartões-postais do Brasil – se somam à iluminação laranja da campanha global dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. Pelo quarto ano consecutivo, a iluminação deixa as marcas em diferentes pontos do mundo em favor dos direitos de mulheres e meninas viverem sem volência. Em 2016, 105 países participaram da ação, coordenada pela ONU Mulheres no âmbito da campanha do Secretário-Geral da ONU UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres.

 

Neste ano, a mobilização adotou o lema “Não deixar ninguém para trás: acabar com a violência contra as mulheres e meninas” em referência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. “A essência do tema de hoje “Não deixar ninguém para trás” é que ninguém deve ser deixada de fora. Isso significa ter mulheres e meninas em pé de igualdade e incluí-las em todos os assuntos que as preocupam e projetar soluções para acabar com a violência junto com aquelas pessoas anteriormente omitidas, relegadas ou marginalizadas. Como comunidade global, podemos acabar com a violência contra mulheres e meninas, transformar instituições e unir os esforços para erradicar a discriminação, restaurar os direitos humanos e a dignidade e não deixar ninguém para trás”, afirma Phumzile Mlambo-Ngcuka, secretária-adjunta da ONU e diretora executiva da ONU Mulheres.

 

No Brasil, a mobilização começou na segunda-feira (20/11), Dia da Consciência Negra, o que amplia a campanha dos 16 Dias para o período de 20 de novembro a 10 de dezembro. “A antecipação do Brasil ocorreu por iniciativa da sociedade civil, para destacar o racismo como violência na vida das mulheres negras, ampliando a violação dos seus direitos humanos. Ao levar a cor laranja para as cidades, queremos provocar o debate sobre a violência de gênero, buscar formas de prevenção e incentivar mobilizações locais em favor dos direitos das mulheres e meninas”, considera Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

 

Nadine explica a simbologia da cor laranja como referência ao fim da violência de gênero. “A cor laranja é vibrante e otimista e representa um futuro livre de violência. Foi adotada como um símbolo da campanha do Secretário Geral das Nações Unidas UNA-SE Pelo Fim da Violência contra as Mulheres e da estratégia do Dia Laranja, celebrado no dia 25 de cada mês. Acabar com a violência contra as mulheres é responsabilidade de todas as pessoas e requer engajamento pessoal, comunitário e político”, completa Nadine Gasman.

 

Prédios icônicos – Edifícios e monumentos emblemáticos são iluminados de laranja – cor representativa da mobilização pelo fim da violência de gênero – para incentivar cidadãs e cidadãos do mundo a participar em marchas e concentrações, em shows e festivais públicos durante os 16 dias de ativismo.

 

No Brasil, o Elevador Lacerda, cartão-postal da Bahia, foi iluminado de laranja no Dia da Consciência Negra, na segunda-feira (20/11). O Cristo Redentor, uma das sete maravilhas do Mundo Moderno, e o Palácio Buriti, sede do governo do Distrito Federal, farão parte da simbologia em 25 de novembro – Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

 

No mundo, estão programadas as iluminações do Fortune Financial Centre, em Pequim (China); dos parlamentos de Bangladesh, Libéria e Marrocos; do Palácio de Belas Artes, na Cidade do México (México); dos monumentos de Gaziantep (Turquia); da prefeitura de Bogotá; do Teatro Nacional de Argel e da Montanha da Mesa, na Cidade do Cabo (África do Sul).

 

Iluminação do Elevador Lacerda (adesão à campanha global Pinte o Mundo de Laranja pelo Fim da Violência contra as Mulheres)
Data: 20 de novembro de 2017
Horário: a partir das 20h
Local: Praça Municipal, s/n – Centro Histórico – Salvador/BA

 

Lançamento de novos dados e relatório da Pesquisa de Condições Socioeconômicas e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher
Data: 23 de novembro de 2017
Horário: das 14h às 17h
Participantes: Nadine Gasman (representante da ONU Mulheres Brasil), Maria da Penha Maia Fernandes, fundadora do Instituto Maria da Penha; Fátima Pelaes, Secretária Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República; José Raimundo, coordenador da pesquisa pela CAEN-UFC; e Daniela Grelin, Gerente Sênior do Instituto Avon.
Local: Casa da ONU (Casa das Nações Unidas no Brasil – Complexo Sergio Vieira de Mello | Módulo I ) – Brasília/DF

 

Iluminação do Cristo Redentor (adesão à campanha global Pinte o Mundo de Laranja pelo Fim da Violência contra as Mulheres)
Data: 25 de novembro de 2017
Horário: das 19h30 às 20h30
Local: Rua Cosme Velho, 513 -Parque Nacional da Tijuca – Rio de Janeiro/RJ

 

Iluminação do Palácio Buriti (adesão à campanha global Pinte o Mundo de Laranja pelo Fim da Violência contra as Mulheres)
Data: 25 de novembro de 2017
Horário: a partir das 20h
Local: Zona Cívico-Administrativa – Praça do Buriti – Brasília/DF

 

Comentários