Aracaju, 24 de Junho de 2018

Coluna

Post ab3bd729b90cc9bb

Aqui Entre Nós

Por Nazaré Carvalho

Nazaré Carvalho é graduada em Letras pela UFS, especialista em Direito Educacional, jornalista, radialista e apresentadora de televisão. Exerce atualmente o cargo de Assessora de Comunicação da Faculdade Pio Décimo

07/07/2016
Violência: um mal que atinge todos
Article cover big 27e69c0a12fee0b3

A  violência urbana configura-se um dos principais problemas sociais da nossa atualidade. No Brasil, em especial nos grandes centros, a violência pode ser identificada como a maior preocupação apontada pela sociedade e vem sendo alvo de inúmeros debates no âmbito público e privado.


É um tema que abarca fenômenos das esferas sociais, política e econômica, repercutindo diretamente na qualidade das pessoas.


As diversas formas de violência que acontecem no meio urbano têm como ponto em comum a estrutura das grandes cidades, que promovem por si só um distanciamento da natureza. A massa de construções faz perder a simples perspectiva do horizonte, da natureza, inclusive da natureza humana. A isso se podem  adicionar as formas de viver em geral, cada vez mais empilhadas e apertadas. A aglomeração populacional é inversamente proporcional à possibilidade de contatos afetivos mais profundos. O anonimato e a sensação de “não pertencer” são duas condições constantes nas cidades grandes. O tempo é escasso tanto para os outros como para si mesmo.


Há pressa e uma sensação de falta de lugar e de oportunidades para todos, imperando a competição e o imediatismo. Prevalecem angústias e vazios, os quais se busca preencher e apaziguar através de estímulos sonoros e visuais e através de um consumo desenfreado e inconsequente. Há um ruído enorme, ambiental e nas comunicações de modo geral. É difícil escutar e escutar-se. Todos esses fatores contribuem para estados emocionais e comportamentais que são meios propícios à produção de várias formas de violência.


A abordagem da violência exige uma articulação inter-setorial, interdisciplinar e multiprofissional, com a participação do Estado e da sociedade civil organizada. Se a violência é um fenômeno multicausal, as possibilidades de enfrentamento certamente provêm dos diversos setores da sociedade.


É a violência fenômeno complexo e atual. Conhecer seus determinantes e os múltiplos fatores envolvidos na sua gênese pode auxiliar na compreensão do impacto da violência urbana.


Precisamos encarar com coragem os fatores que estão intrínsecos na questão e levar muito a sério o estudo desse comportamento humano, para que se possa minimizar a violência urbana.


Não basta responsabilizar o Estado, incriminar a miséria, precisamos fazer uso de abordagem e aprendizado que possa nos mostrar a saída para tamanho problema. Não vale cruzar os braços é preciso ter determinação e levar o tema à discussão ampla e irrestrita.

Envie seu comentário