Aracaju, 11 de Dezembro de 2018

Coluna

Post c647c930266f0c5a

Viajando com Acácia Trindade

Por Acácia Trindade

Acácia Trindade é jornalista há 30 anos. Repórter , editora de Turismo e foi diretora do Jornal da Cidade e de Comunicação do Tribunal de Contas de Sergipe. Atualmente está chefiando a Ouvidoria da Corte de Contas. Mantém uma página sobre Turismo no Facebook - Viajando com Acácia Trindade. Agora passa a fazer parte do time do Conecte Mulher

 

20/04/2018
Os sabores do meu Sergipe
Article cover big 317c38b4a543e566

Quem visita Aracaju jamais esquece. E não pode esquecer mesmo. A cidade é pequena, linda, aconchegante, com vários quilômetros de rios e praias, sol reinante quase todos os dias do ano, povo receptivo...  Aqui, tudo que a natureza nos fornece serve de inspiração para bons negócios. O mar e o sertão, por exemplo, influenciam diretamente a gastronomia. A culinária sertaneja, apesar da proximidade com o mar, é marcante. O que vem conquistando cada vez mais os próprios sergipanos e turistas que diariamente lotam os restaurantes e bares que fornecem os cafés nordestinos.

 

Os restaurantes temáticos, com proposta caipira, estão em plena expansão, já chegaram aos shoppings de Aracaju e estão se embrenhando pelo interior do Estado. Tudo feito com muito capricho e sabor. Para visitar Aracaju, o turista tem que esquecer um pouco a dieta alimentar.  Com certeza ganhará alguns quilinhos a mais ao final do tour gastronômico, mas nada que não possa diminuir na balança aproveitando os passeios pelas praias e cidade. A comilança tem início logo no café da manhã, ainda nos hotéis. A mesa farta, com bolos, pão com queijo de coalho, carne seca, suco da própria fruta, com variação enorme, tapioca recheada, entre outras guloseimas, garante muito sabor para quem experimenta os produtos.

 

O bom nesta história toda, é que o próprio sergipano vem sendo o grande incentivador da ampliação do número de restaurantes típicos em Aracaju.  Cada vez mais eles estão deixando suas casas para saborear os cafés nordestinos.  O que pode ser visto mais de perto no restaurante Mangará.  A clientela de sergipanos e turistas é grande no local. Tanto que os proprietários investiram em outro restaurante com a mesma temática: o Severina, que serve de suporte para os dias de grande movimento turístico.

 

Há 16 anos, o Mangará lembrava uma pequena casa de fazenda. Era a casa da vovó. Hoje, o restaurante foi ampliado e tem 200 lugares, disputadíssimos. Existe até fila de espera. Começou só servindo sopas, hoje oferece a ceia nordestina completa. Tudo feito na hora. No final de tarde e, agora no almoço aos domingos, você saboreia a galinha caipira, a quiabada, carnes do sol, carneiro, porco e outras variedades de pratos só encontrados no Estado. No final da tarde, a preferência é pelos bolos, queijo assado, a tapioca recheada, a macaxeira com carne do sol, canjica e as sopas. A decoração é um show a parte. Tudo lembra uma fazenda e nos remonta ao tempo de infância. A cadeira de balanço, a vitrola antiga, a máquina de costura de pedal, o ferro a brasa para passar roupa: uma viagem pelo túnel do tempo.

 

Mas para os que preferem a Orla, lá temos os tradicionais bares e barracas de praia, com comidas típicas. São inúmeras barracas oferecendo a tapioca recheada quentinha. Nas barracas, próximo ao Centro de Artesanato, você encontra o café nordestino completo. Tem a macaxeira ou inhame com carne do sol, charque e até com camarão frito. Tem também a torta de macaxeira, o cuscuz recheado, sucos diversos, pastéis, etc. Uma diversidade de sabores a preços bem acessíveis. Os cafés e as soparias se estendem por vários bairros da capital. Até nas delicatessens estão descobrindo que o sergipano valoriza e gosta de saborear os produtos da sua própria terra.

 

Mas o turista que não aprecia a comida regional, pode vir a Aracaju com toda tranquilidade. Aqui existem restaurantes que fornecem, com qualidade, as comidas típicas de outros Estados e países. Temos muitos pratos à base de frutos do mar, carnes, massas, saladas, etc. Temos todos os sabores que se encaixam muito bem com todos os bolsos. O turismo gastronômico já é um dos grandes atrativos de Sergipe.

 

    

 

    

 

     

 

     

Envie seu comentário