Aracaju, 25 de Abril de 2018

Coluna

Post 135e91c45cdeb016

A Gente se Entende

Por Suely Buriasco

Treinamentos em resolução de conflitos e coaching para equipes, familiares e pessoais.
Aprenda a administrar conflitos e fortaleça suas relações!

 

Suely Buriasco é  consultora em Mediação Corporativa, Mediação de Conflitos e Coach, atuando nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Educadora graduada em Estudos Sociais e pós-graduada em Docência Superior e Mediação de Conflitos e MBA em Gestão Estratégica de Pessoas.  É articulista de jornais e sites, sempre abordando temas que incentivam o autoconhecimento e a busca pelo equilíbrio, harmonia e sabedoria. Possui dois livros publicados pela "Novo Século"Editora": Uma Fênix em Praga e Mediando Conflitos no relacionamento a dois.



Agende sua consulta através do telefone 11 3254-7420 ramal 143
WhatsApp 11- 993514566
www.sburiasco.com.br

22/03/2016
O Brasil e as diversas óticas do seu povo
Article cover big 119527d659806227

 

 

A diversidade brasileira é rica em todos os sentidos, não poderia ser diferente em relação

a forma como vê, encara e se manifesta diante de uma ideia ou situação. O conflito é 

natural entre seres humanos, o que não se justifica é a intransigência. Grandes 

sofrimentos existenciais estão correlacionados a problemas de relacionamento, por isso 

vale muito estar atento quanto ao próprio nível de tolerância.

 

Com as redes sociais esses entraves ficaram mais comuns, pois se tornou possível 

expressar publicamente o que se pensa, além de comentar o pensamento alheio. Nessa 

crise que nosso país enfrenta, muitas pessoas, com os ânimos exaltados, se acham no 

direito de criticar e banalizar o pensamento alheio. Não percebem o quanto estão 

prejudicando a si mesmas e a causa comum que se refere ao desejo de lutar por um país 

melhor. E, infelizmente, muita confusão ainda está por vir. Um grande ensinamento que 

podemos tirar disso é que quando a pessoa se envolve apaixonadamente em alguma 

questão, inflexibiliza possibilidades, mantêm uma ótica unilateral e isso só fomenta 

desentendimentos.

 

Nos comentários das últimas manifestações populares do dia treze de março não faltam 

exemplos apaixonados. Muitas pessoas manifestaram indignação diante de uma notícia 

em que políticos foram exaltados, mas não notaram a divulgação que esses mesmos 

políticos também foram hostilizados. Não me parece racional a grande polêmica por uma 

foto em que um casal leva a babá nas manifestações e a imprensa que todos movimentos 

acusam de ser contrária. E poderíamos citar muitos exemplos que demonstram as 

divergências criadas pela paixão de muitos e insufladas pelos que tem algum interesse 

nisso.

 

A visão unilateral é sempre tendenciosa e busca comprovar os próprios sentimentos, não 

observa outras possibilidades como a de que, mesmo lutando por uma causa afim, as 

pessoas pensam e reagem de maneira diferente. Aqueles que se envolvem 

emocionalmente por uma ideia tendem a generalizar tudo à favor do que acreditam e 

acabam criando sérios problemas de relacionamento. Isso é, no mínimo, lamentável, 

afinal, não é racional desfazer amizades, criar embaraços na família, no trabalho ou em 

qualquer ambiente por conta de não aceitar que existem outras formas de pensamento e 

que expressá-las com respeito e educação é um direito de todos.

 

Vale refletir e, se preciso, mudar de posicionamento, não necessariamente em relação ao 

que crê, mas em como crê e na forma como lida com crenças diferentes. O respeito é 

fundamental em qualquer tipo de relacionamento e vivenciá-lo é permitir ao outro o que 

exige para si mesmo.

Envie seu comentário