Aracaju, 20 de Outubro de 2018

Coluna

Post 38709a474f3f1d37

Pensamento, palavra e ação

Por Suely Buriasco

Treinamentos em resolução de conflitos e coaching para equipes, familiares e pessoais.
Aprenda a administrar conflitos e fortaleça suas relações!

 

Suely Buriasco é  consultora em Mediação Corporativa, Mediação de Conflitos e Coach, atuando nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Educadora graduada em Estudos Sociais e pós-graduada em Docência Superior e Mediação de Conflitos e MBA em Gestão Estratégica de Pessoas.  É articulista de jornais e sites, sempre abordando temas que incentivam o autoconhecimento e a busca pelo equilíbrio, harmonia e sabedoria. Possui dois livros publicados pela "Novo Século"Editora": Uma Fênix em Praga e Mediando Conflitos no relacionamento a dois.



Agende sua consulta através do telefone 11 3254-7420 ramal 143
WhatsApp 11- 993514566
www.sburiasco.com.br

09/05/2018
Mãe – O Amor que supera qualquer imperfeição
Article cover big b27d577bbed849bb

Você é daqueles que acredita que mãe é realmente tudo igual?


Caso a sua resposta seja afirmativa eu tenho uma notícia: Nós mães não somos todas iguais, muito menos somos perfeitas. Somos sim criaturas que receberam a função divina de procriar e amar nossos filhos, no mais as diferenças são bastantes significativas e refletem no comportamento dos filhos. Por exemplo:
 

1- Mãe Superprotetora: Se puder coloca o filho numa redoma de vidro; faz tudo por ele. Esse tipo de mãe costuma criar filhos inseguros e incapazes de resolver os próprios problemas.
 

2- Mãe Autoritária: Gosta de tudo perfeito, vive chamando atenção do filho por exigir comportamento maduro e impecável. Filhos de mães autoritárias podem igualmente desenvolver insegurança, pois, o medo faz parte de sua educação.
 

3- Mãe Permissiva: Deixa o filho fazer o quer e diante de uma birra ou falta de educação apenas sorri tímida. Essa forma de educação pode ser muito prejudicial aos filhos que acabam tendo que aprender de forma sofrida que os outros também têm direitos.
 

4- Mãe Ausente: Dedica pouco tempo ao filho, estando sempre ocupada com o trabalho. Talvez por ter que lidar com muitos problemas, prefere se envolver o mínimo possível com os filhos. Isso pode gerar inúmeros desacertos na vida do filho por não ter a presença materna norteando seus passos.
 

5- Mãe Dona da verdade: Jamais dá razão ao filho. Suas opiniões têm que prevalecer sempre, não ouve e, portanto, não desenvolve diálogo com o filho. Esse tipo de mãe pode gerar filhos sem poder de decisão e com baixa autoestima.
 

Algumas dessas características podem não ser ideais. As mães podem não ser perfeitas como as cantadas em prosa e verso, mas no fundo o que elas querem é o melhor para os seus filhos, mesmo nem sempre sabendo como manifestar.
 

Independentemente de como seja a sua mãe, saiba valorizá-la, compreendê-la e amá-la! E você mãe, independente das suas perfeições, não se culpe, o amor é sempre o mais importante.

 

 

    

Envie seu comentário