Aracaju, 24 de Setembro de 2018

Coluna

Post ab3bd729b90cc9bb

Aqui Entre Nós

Por Nazaré Carvalho

Nazaré Carvalho é graduada em Letras pela UFS, especialista em Direito Educacional, jornalista, radialista e apresentadora de televisão. Exerce atualmente o cargo de Assessora de Comunicação da Faculdade Pio Décimo

13/11/2014
Família e escola, uma parceria preciosa
Article cover big 4d3d6468e77d32be

“A mim me dá pena e preocupação quando convivo com famílias que experimentam a ‘tirania da liberdade’ em que as crianças podem tudo: gritam, riscam paredes, ameaçam as visitas em face a autoridade complacente dos pais que se pensam ainda campeões da liberdade.” (Paulo Freire).
 

A sociedade contemporânea vive uma crise de valores éticos e morais sem precedentes. Essa é uma certificação que todos percebem e vivenciam de alguma forma. O fato de ser uma educadora e participar do processo educativo por várias décadas, não me causa surpresa, pois é no ambiente escolar onde se manifestam as tensões e os impactos das transformações da vida em sociedade.
 

Atualmente o sistema educacional brasileiro promove reflexões e discussões entre os educadores sobre questões como falta de “limites”, desrespeito em sala de aula, desmotivação dos alunos, entre outros. Observam-se professores cansados, e muitas vezes, doentes física e mentalmente. Outros convivem com o sentimento de frustração, por planejarem projetos educacionais carregados de intencionalidade, mas não vivenciarem seus bons resultados.
 

Não há como desconsiderar que os acontecimentos atuais estão relacionados com a acelerada mudança no contexto social. O sistema educacional brasileiro, mergulhado numa avalanche de exigências, ainda caminha de forma incipiente para atender as novas demandas sociais, que não são poucas, e que não dependem apenas da instituição escola, mas também de outras instituições responsáveis pela formação integral das novas gerações.
 

Por esse motivo, nas discussões e reflexões na escola há sempre espaço para essa temática, na tentativa de compreender esse panorama tão complexo que afeta a educação, por ser no ambiente educacional onde as crianças e os jovens passam um grande tempo de sua vida. A escola não pode assumir sozinha toda responsabilidade de situações de conflitos existentes nas relações sociais, mas deve envolver a família nas ações que contribuam para fortalecer os padrões de conduta necessários à convivência humana.
 

É de se entender que a família é e, precisa ser a grande parceira da escola, nessa relação não há como confundir-se os papéis , até porque a primeira instituição educacional é a família e assim precisa ter clareza das reais necessidades do ato de educar, considerando que o rigor da educação familiar carrega amor, afeto, desejo e sonho de formar seres mais humanos.
 

A escola e a família devem conviver em completa sintonia em suas atitudes, já que seus propósitos caminham juntos.

Envie seu comentário