Aracaju, 20 de Outubro de 2018

Coluna

Post a28f54601f0685fa

Cara a cara com alguém muito especial: Você!

Por Eliana Barbosa

Coach de relacionamentos, psicoterapeuta, articulista de jornais e de revistas de circulação nacional e internacional, autora de vários livros no campo do autodesenvolvimento, apresentadora de programas em TV e rádio, e ministra palestras e cursos transformacionais no Brasil e nos Estados Unidos.
www.elianabarbosa.com.br
eliana@elianabarbosa.com.br

 

20/03/2018
Beleza e autoestima
Article cover big 73ff3913aba101fa

Hoje eu quero falar com você sobre a busca da beleza sob o ponto de vista feminino. De mulher pra mulher! Você já percebeu como é grande o número de mulheres que, mesmo tendo beleza física, saúde, bons parceiros, dinheiro e sucesso, ainda estão infelizes e reclamando da vida? São aquelas que, apesar das dietas e plásticas que fazem, continuam se sentindo feias, sem brilho e não se aceitam como são. Sua autoimagem ainda continua negativa. Elas parecem ter tudo, mas na verdade está faltando para elas o essencial, aquilo que lhes determina a beleza interior – a autoestima. 

 

Penso que é muito positivo para as mulheres serem vaidosas e cuidadosas com a sua aparência, porque isso ajuda a fortalecer sua autoestima. Todavia, muitas mulheres se preocupam tanto com seu visual, presas à ditadura da beleza, que acabam se esquecendo do fundamental, que é cuidar de seus pensamentos e emoções, cuja poderosa energia comanda sua saúde, sua forma física e seu bem-estar.

 

É claro que, em um primeiro momento, a beleza exterior tem o seu papel, causando boa impressão a todos, mas ela é perecível, e com o passar do tempo, em um convívio mais próximo, será sempre a beleza interior que vai falar mais alto. Beleza interior é carisma, é eterna, e tende a aumentar dia após dia, porque quem é bonita por dentro vive a vida buscando aprimorar sua luz interior, para que ela irradie a todos à sua volta.

 

Isso quer dizer que mais do que ser bela por fora, você precisa ser bela por dentro.

 

De que adianta uma mulher exuberante com uma energia negativa ou assuntos desagradáveis?

 

Ou ter um corpo perfeito, mas um olhar que não ilumina? 

 

De que adianta ser um luxo por fora e estar carregando o lixo dos ressentimentos e das culpas por dentro?

 

Ou ser linda por fora e vazia por dentro?

 

Não sou de forma alguma contra as cirurgias plásticas ou correções para ficarmos com uma aparência mais saudável e jovial, mas, junto a essas intervenções externas, cada mulher precisa, também, entender melhor suas emoções, aprender a perdoar a si mesma e aos outros e a ser mais amorosa consigo própria. Isso faz com que haja equilíbrio entre a sua beleza (externa) e o seu encanto (interno).

 

O famoso cirurgião plástico das estrelas de Hollywood, Dr. Robert Rey, certa vez afirmou, em uma entrevista: “Uma mulher bonita é uma mulher sensual”.  E sensualidade não é um fator físico, e sim emocional, interno, que toda mulher pode desenvolver quando aprimora sua autoestima. 

 

Pense nisso com carinho!!! 

 

 

 

Envie seu comentário