Aracaju, 19 de Janeiro de 2018

Coluna

Post ab3bd729b90cc9bb

Aqui Entre Nós

Por Nazaré Carvalho

Nazaré Carvalho é graduada em Letras pela UFS, especialista em Direito Educacional, jornalista, radialista e apresentadora de televisão. Exerce atualmente o cargo de Assessora de Comunicação da Faculdade Pio Décimo

12/02/2015
Ano Novo
Article cover big bc583c8334d61816

Esperamos o Ano Novo com propósito de começar uma vida nova, para estabelecer novas metas de vida, propósitos renovados para tantas coisas... É comum as pessoas elaborarem suas listas de bons projetos/objetivos para o novo ano. Mesmo sabendo que o tempo somente existe em função dos movimentos estabelecidos pelo planeta em que nos encontramos, é interessante essa movimentação individual, toda vez que o novo período convencional de ano reinicia.
 

Mas, falando de lista de bons propósitos, já se deu conta que, quase sempre, esquecemos o que listamos? Alguns até esquecem onde guardaram a tal lista, o que comprova a pouca disposição em perseguir os itens elencados. Ano Novo deve ter um significado especial.
 

Vejo como a possibilidade de renovação de hábitos, de atitudes, reorganização dos atos, das tarefas, da distribuição de tempo, da valorização de coisas extremamente importantes como a família, os amigos e a comunhão com Deus, por exemplo.
 

Viver o Ano Novo é sorrir mais pelos prazeres simples e às vezes não notados, de tudo que nos rodeia.  Caminhar ao vente (mesmo com esse calorão), tomar um sorvete (fugindo a regra da dieta, de vez em quando), caminhar na areia da praia, ver o sol nascer e se por, olhar as flores e conversar com elas, olhar os monumentos de sua cidade e procurar conhecer suas histórias, aprender a fazer coisas que até então não sabia - nadar, cavalgar, andar de bicicleta, dançar, ouvir mais música – (eu disse MÚSICA e não “barulho” e etc).
 

Acrescente também em sua lista mais leitura, mais estudo, mais pesquisa, mais trabalho voluntário, mais ternura, mais tolerância, mais informações. Servir a alguém com alegria e bom ânimo.
 

Os acontecimentos ruins involuntários, esqueça (“delete”) e pense que no futuro virão muitas coisas  boas  e que você será forte para enfrentar quaisquer situações complicadas ou embaraçosas que possam aparecer. (Não se esqueça: somo o que pensamos ser).
 

É comum nos olharmos no espelho e sempre vermos, marcas que o tempo se incube de nos ofertar; machucados por um acidente qualquer, linhas que o próprio tempo nos deixa, olhos que exprimem sofrimento, alegria, tristeza, satisfação, decepção, enfim, vemos a matéria, ou seja, o resultado de nossa vida em forma física... isso, vemos em nós mesmos e podemos ver nos outros, mas a alma... Ah! Isso somente nós podemos ver e sentir, quando se trata de nós mesmos.
 

Ouça: olhe para dentro de si e tente lembrar o que foi feito de bom e ruim no ano que passou; procure repetir as coisas boas, muitas e muitas vezes.
 

Os ERROS?
 

Não esqueça para não repeti-los.
 

É que desejo aos leiteiros dessa página.

Envie seu comentário