Aracaju, 17 de Agosto de 2018

Coluna

Post 38709a474f3f1d37

Pensamento, palavra e ação

Por Suely Buriasco

Treinamentos em resolução de conflitos e coaching para equipes, familiares e pessoais.
Aprenda a administrar conflitos e fortaleça suas relações!

 

Suely Buriasco é  consultora em Mediação Corporativa, Mediação de Conflitos e Coach, atuando nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Educadora graduada em Estudos Sociais e pós-graduada em Docência Superior e Mediação de Conflitos e MBA em Gestão Estratégica de Pessoas.  É articulista de jornais e sites, sempre abordando temas que incentivam o autoconhecimento e a busca pelo equilíbrio, harmonia e sabedoria. Possui dois livros publicados pela "Novo Século"Editora": Uma Fênix em Praga e Mediando Conflitos no relacionamento a dois.



Agende sua consulta através do telefone 11 3254-7420 ramal 143
WhatsApp 11- 993514566
www.sburiasco.com.br

18/09/2014
A manifestação de afeto e a satisfação humana
Article cover big cb46d81cd73630a9

Uma consultoria muito agradável que realizei junto a uma companhia de dança, sobre a força de um abraço, reafirmou a necessidade de conceituarmos as diversas formas de manifestação de afeto, bem como a sua importância para a satisfação humana. Isso porque, jamais podemos esquecer, somos seres sociais e, dessa forma, sentimos necessidades de compartilhar a vida com outras pessoas.

 

Muitas pessoas parecem relegar essa prioridade, fechando-se em mundos interiores, formando verdadeiros casulos. Também a agitação em que vivemos favorece essa introspecção, já que bloqueia, muitas vezes, as manifestações dos sentimentos, como se fora uma defesa de perigo iminente. A insegurança, os medos da rejeição e do abandono são grandes empecilhos, podendo mesmo, minar a possibilidade da comunhão dos seres. A internet quando usada de forma a aproximar quem está longe e distanciar quem está perto, igualmente é um agente complicador das relações, tornando-as mais superficiais e afastando a intimidade.

 

A proposta da manifestação de afeto emocionou a equipe de bailarinos porque vem de encontro a uma necessidade priori do ser humano em dar e receber amor. Especialistas afirmam que o contato físico libera um hormônio chamado ocitocina que provoca grande bem estar e um simples abraço é um grande condutor desse também chamado de “hormônio do abraço”. Além disso, um abraço envolvente libera endorfina que transmite uma sensação de bem estar indescritível; é a mesma substância produzida quando comemos chocolate ou fazemos um bom treino esportivo.

 

O abraço como manifestação de afeto promove a sensação de segurança, proteção e corresponde a uma troca muito benfazeja de energias renovadoras. Seguido de um beijo é ainda mais saudável e delicioso. Assim, abraçar harmoniza qualquer tipo de relação, porque promove o entendimento que, muitas vezes, não se alcança com as palavras. Demonstrar sentimentos pelo contato físico é abrir um canal próspero de comunicação não verbal, que facilita muito o entendimento e a compreensão entre as pessoas.

 

É preciso, pois, romper as barreiras do medo e deixar fluir as energias através das manifestações de afeto. Se elas possuem efeito terapêutico até mesmo entre desconhecidos, imagine entre as pessoas de nosso convívio. Cai em grande equívoco quem acredita que os sentimentos são óbvios e, portanto, não precisam ser demonstrados. Sempre há tempo e espaço para permitir que o amor se manifeste e se expanda além de nós mesmos.  

                                                                                  www.suelyburiasco.com.br

Envie seu comentário