Aracaju, 16 de Outubro de 2018

Coluna

Post 38709a474f3f1d37

Pensamento, palavra e ação

Por Suely Buriasco

Treinamentos em resolução de conflitos e coaching para equipes, familiares e pessoais.
Aprenda a administrar conflitos e fortaleça suas relações!

 

Suely Buriasco é  consultora em Mediação Corporativa, Mediação de Conflitos e Coach, atuando nos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Educadora graduada em Estudos Sociais e pós-graduada em Docência Superior e Mediação de Conflitos e MBA em Gestão Estratégica de Pessoas.  É articulista de jornais e sites, sempre abordando temas que incentivam o autoconhecimento e a busca pelo equilíbrio, harmonia e sabedoria. Possui dois livros publicados pela "Novo Século"Editora": Uma Fênix em Praga e Mediando Conflitos no relacionamento a dois.



Agende sua consulta através do telefone 11 3254-7420 ramal 143
WhatsApp 11- 993514566
www.sburiasco.com.br

20/06/2016
A importância de nos sentirmos importantes
Article cover big 4ce5d7e238b47f80

 

Por Suely Buriasco

 

Sentir-se importante é uma necessidade inerente ao ser humano, uma questão

antropológica que não pode ser ignorada. No livro "Como conquistar as pessoas",

os autores Allan e Barbara Pease abordam logo no primeiro capítulo sobre o que

chamam de “os três princípios da natureza humana". Segundo eles a necessidade

de sentir-se importante é mais forte do que as necessidades fisiológicas e até

mesmo do que a necessidade de ser amado ou ter segurança.

Sentir-se valorizado é um dos pilares fundamentais da felicidade. Somos seres

sociais e precisamos ser notados, reconhecidos pelo valor que temos, por nossos

esforços em nos tornar pessoas melhores, de ser compreendidos em nossas

dificuldades. Por isso a falta de reconhecimento provoca grande abalo emocional,

desmotiva e pode levar à depressão. Pessoas inseguras e com baixa autoestima

têm grande dificuldade de lidar com a falta de reconhecimento.

O problema é que a maioria das pessoas espera pelo reconhecimento alheio e,

muito comumente, acaba se decepcionando. A ironia é que a valorização, de

alguma forma acontece, mas, quase sempre, não parte da pessoa cujas

expectativas estão concentradas. Isso causa sofrimento, muitos se entregam ao

desânimo e, pior, acabam acreditando que não merecem mesmo ser valorizados.

É questão de amadurecimento entender que nem todas as pessoas estão

preparadas para manifestar reconhecimento e, portanto, esperar por isso é

totalmente infrutífero e, pior, é buscar decepção e sofrimento. Como nos lembra

Emerson, pensador americano, num de seus ensaios: “nada te pode trazer paz

senão o triunfo dos princípios”. Sentir-se importante tem a ver com a sensação de

que fizemos o melhor e agimos conforme os nossos valores. Esse é o

reconhecimento que precisamos e que tem o poder de nos fazer feliz.

Em contrapartida, esse entendimento pode facilitar muito os relacionamentos

quando nos colocamos em condições de valorizar os que convivem conosco.

Reconhecer a importância das pessoas em nossas vidas é, seguramente, interagir

de forma saudável e feliz. Você não pode exigir que os outros valorizem você, mas

pode perfeitamente valorizar os outros e dessa forma inspirar esse comportamento.

Fazer com que as pessoas saibam que são importantes para você também é uma

forma de se sentir bem consigo mesmo.

Sinta-se importante a partir de suas próprias ações, não seja dependente do

reconhecimento de ninguém e aja de forma a fazer com que as pessoas a seu redor

se sintam valorizadas. Assim agem as pessoas felizes!

 

www.suelyburiasco.com.br

Envie seu comentário