Aracaju, 22 de Outubro de 2018

Coluna

Post ccd95866fae103c7

Olhar em Foco

Por Dôra Mendonça

Artista Plastica e Fotógrafa. Destacou-se através da série de quadros "Serra de Itabaiana", onde na temática faz uma leitura ecológica demonstrando Agressões ao meio ambiente na Serra de Itabaiana, desde 1991. As orquídeas são temas principais nas suas telas onde hoje procura abstrai-las demonstrando que se não houver uma preocupação constante as orquídeas desaparecerão da Serra de Itabaiana. Participou em várias exposições dentro e fora do País. Mensão honrosa em 1991 pela Galeria Álvaro Santos, em Aracaju/SE.

 

29/04/2016
A arte da emoção
Article cover big 8e36be8b10d4d41a

Emocionar? Sim!!!

É impressionante como os bailarinos procuram passar para a plateia o sentimento da dança.

Eles têm na alma, a arte de emocionar o público através de seus passos. É um contador de histórias, através das expressões corporais. É divino!


 

A paixão sai da alma de quem dança, atravessa o palco e atinge como se fosse uma flecha o apreciador da arte que está na plateia. Assim que o sentimento é absorvido pelo público, a plateia entra em total abandono do seu corpo e passa a vivenciar a história contada com tanto amor através dos ritmos, passos e mais passos. Esses profissionais voam como pássaros, e ali estão para mostrar o belo e levar o público a  outra dimensão sem o tirar do lugar.


 

A plateia vibra, chora, se emociona com tanta beleza, sem saber que o bailarino ( a ) sofre muito para chegar a esse estágio. Como os pés doem! Muitas vezes, dançam com os pés feridos, e muitas vezes no afã de passar seus sentimentos, esquecem até a dor.

 

 

Como o corpo sofre com os exercícios! Mas estão firmes cumprindo seu papel de lançar beleza para seu público. As pessoas aplaudem.... Bravo!!... bravo!!...  Como uma saudação. Mas a palavra bravo para mim são as bravuras dos bailarinos, que sofrem para mostrar a arte da emoção.

Nunca vi, nem ouvi, alguém perguntar a algum bailarino depois do espetáculo. Como estão seus pés? Alguém já ouviu? Só seus companheiros de dor! Bravo.... bravo....

 

 

 

 

 

 

 
Envie seu comentário